quarta-feira, 12 de novembro de 2014

COMPROMETIMENTO

Comprometimento. Você já ouviu falar nisto? É uma palavra pouco usada, pouco utilizada, e uma ação bem pouco vista nos dias de hoje. A falta de comprometimento pode causar vários efeitos indesejáveis, nocivos à saúde comunitária e individual. Comprometimento com causas estabelecidas de comum acordo geram amizade, simpatia, companheirismo, ajuda mútua, estreitamento de laços, quer seja de negócios, quer seja de amizade. Falta de comprometimento gera desavenças, noites mal dormidas, raiva, queimação no estômago, distratos, perda de confiança no individuo e no mundo, desalento...
            Pode soar desagradável, mas literalmente o que nos mata é a falta de comprometimento por parte das pessoas. Cada vez que nos comprometemos, esperamos das pessoas envolvidas uma postura de engajamento igual a que oferecemos. Quando isto não acontece, a quebra de confiança traz uma sensação de traição muito grande, pois percebemos que colocamos nosso tempo e energia em algo que deveria ser construído conjuntamente, para, ao final, carregamos tudo sozinhos.
            Infelizmente, isto é comum demais. Começa dentro das casas. Todos querem morar numa casa bacana, limpa, ordenada, mas sempre acaba sobrando pra uma pessoa todas as tarefas. Depois, dentro das escolas, onde o esforço acaba sendo de poucos, para que tudo funcione e o objetivo de aprender seja alcançado. Num patamar acima, é no emprego, onde sempre há os espertos que deixam suas responsabilidades atrasadas, acarretando mais trabalho para os que realmente se comprometeram a trabalhar,  e não só a marcar ponto na empresa.
            Há também a falta de comprometimento pessoal, como os pacientes que sabem que devem tomar o remédio, ou parar de fumar, ou fazer um número ‘x’ de sessões para melhorar de uma dor, e simplesmente esquecem o remédio, cancelam a sessão, ou continuam comprando o maço de cigarro. O terapeuta se compromete a ajudar o paciente, mas não há o envolvimento do principal interessado.
            Comprometimento é algo simples, e algo sério. Se eu digo: vamos nos ajudar mutuamente,  eu cumpro a minha parte, e não vejo nenhuma atitude de sua parte, a confiança foi quebrada. É como o vendedor que entrega a mercadoria para um cliente de confiança com a promessa de que será pago a seguir, e se percebe enganado, realmente roubado, no momento seguinte. E roubado duplamente: na mercadoria e na confiança.
            Imaginem, por um segundo, que todas as pessoas realmente cumprissem o que prometeram a outras! A sociedade seria melhor, a humanidade seria maravilhosa... as pessoas deixam rastros de insatisfação em suas casas, empregos, amizades, relacionamentos etc, exatamente porque só querem receber, e não querem dar.

            Por este motivo, as raras pessoas que aprenderam a dar, um dia se cansam, se fecham, e somem. Começam a pensar só em si mesmas, afinal, aprenderam com os melhores professores. Mas, como contrariam suas naturezas, acabam adoecendo, morrendo por dentro, e depois por fora. Acabam perdendo o comprometimento com si próprios, pois recebem, continuamente, uma só mensagem: comprometimento não é levado a sério... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RESENHA SOBRE MEU LIVRO NO BLOG PROSA ENCANTADA

Confiram que resenha linda da minha amiga e escritora Ana Lucia Santana sobre meu livro, em seu blog  http://prosaencantada.blogspot.com.br...