sábado, 1 de outubro de 2011

ESTRANGEIRO

Somos estrangeiros.

Imagem desfocada

Na paisagem do país

Em que vivemos.

Diferentes,

Face, corpo,

Pensamentos.

Um estrangeiro em seu país:

Jardim de rosas de sua casa.

Um estrangeiro no estrangeiro:

Pedra, cinza, pinheiros, templos.

O escuro dos templos

Combina com branca pele,

Cabelos de ébano

E olhos rasgados,

Discretamente cinzelados

Com riqueza deslumbrante.

O estrangeiro combina

Com cores, vida, liberdade,

A não-domada consciência.

De tudo, a essência

É a mesma,

Mas alteram-se as formas,

Elaboradas

A partir do vivente espaço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai uma maçã aí?

E nós, as Evas do mundo, como seríamos definidas se a primeira Eva não tivesse oferecido a maçã para Adão? Me recordo também que existem ...