terça-feira, 16 de julho de 2013

POESIA COM ASAS


Pássaro.
Poderia voar.
Mas fica.
Poderia pousar em altos lugares.
Mas se aninha em meu ombro.
Espera o calor
Espera a pele
Contra as penas,
Contrassenso:
Sem gaiolas que a prendam,
Presa em seu afeto.

Assim também somos nós.
Livres que somos
Escolhemos gaiolas que nos prendam
De fato e em pensamento.
Nos contentamos com o calor,
O contato,  o afeto
E cortamos nossas asas.
Feliz pássaro,
Que ama e é amado.
Se contenta comigo
E eu com ele
Sem se perceber

Aprisionado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai uma maçã aí?

E nós, as Evas do mundo, como seríamos definidas se a primeira Eva não tivesse oferecido a maçã para Adão? Me recordo também que existem ...