terça-feira, 6 de dezembro de 2011

HERANÇA

E assim pensava eu:
para quem deixarei a minha herança?
para quem, o meu legado?
Pois não vale um centavo furado,
Mas sim a alegria do alforriado?

Para quem deixarei minha fortuna?
Centenas de livros empoeirados,
Que me regeneraram alma e candura,
Mesmo quando imersa em bruma,
Caminhava do inferno lado a lado?

E penso eu:
Quem veramente quererá
esta fortuna que a terra não come,
Mas o homem também não almeja?
Quem adivinhará a graça benfaseja
de brocados de poesia até os pés?

Certamente tal pessoa existe,
pois não me imagino a caminhar sozinha nesta terra.
Para aquele a quem minha herança deixar
lego liberdade d'alma,
pouso para dormir com sonhos,
e coragem para amar...

2 comentários:

  1. De minha avó herdei a toalha verde bordada
    em richilieu,que ela mesmo me ensinou a bordar...
    ponto a ponto,com agulha fininha e paciência de vó.

    De minha mãe,o amor pelas coisas...
    e pela vida.



    Lindo!

    ResponderExcluir
  2. Poesia para uma poesia... Mariana Gouveia, temos que escrever juntas!

    ResponderExcluir

RESENHA SOBRE MEU LIVRO NO BLOG PROSA ENCANTADA

Confiram que resenha linda da minha amiga e escritora Ana Lucia Santana sobre meu livro, em seu blog  http://prosaencantada.blogspot.com.br...