quarta-feira, 21 de março de 2012

ODE A LOTTE

Há leituras e leituras. As vezes leio com olhos que não são somente meus. Assim aconteceu com o livro Lotte &Zweig, de Deonísio da Silva. A leitura virou poesia.


Afogada estava, em vida.

O ar, que sôfrega puxava,

Não o queria.

Não lhe pertencia.

Andou na sombra,

Achando que a ela se rendia.

Nela não havia grito:

Ela não tinha norte.

Seu amante, seu braço forte,

Não lhe era real suporte.

Antes era bandido

A lhe ditar a sorte.

Também pássaro ferido,

Preferiu a morte.

Se a vida lhe foi tirada

Ou se ele mesmo o fez

 não importa:

Não ouviu os sinais

Que lhe chegavam a porta.

Lotte sentia e pré-sentia

E por isso já não vivia.

No desfecho de sua história, porém,

Lotte sofreu

Ao ver seu homem morto, ao lado,

E abraçada ao medo,

Angústia lhe fechando o peito,

Deixou-se ir, sem mais lutar,

Recusando o ar

Unindo-se ao funéreo leito.

Ficou vagando,

Espírito inquieto,

Pois negavam-lhe a voz.

Até que um escritor atento

Ouviu-lhe os gritos de socorro.

Ele a resgatou,

Pois tinha olhos para ver

E ouvidos para ouvir.

Da alma feminina

Um perscrutador,

Soube pegá-la no colo,

Niná-la e fortalecê-la,

Dando-lhe carne e ossos,

Brilho e voz.

Resgatada e reparida

Conseguiu na morte

O que não o fez na vida:

Ser por todos conhecida.

2 comentários:

  1. Ana, querida, muito obrigado pela homenagem a LOTTE & ZWEIG, meu romancinho, e especialmente à Lotte. São versos muito bonitos, vindo de seu talento, que sabe expressar fundos sentimentos, sensações e intuições com palavras bem arrumadas.
    Uma beijoca do
    Deonísio

    ResponderExcluir
  2. Ana, sua poesia nos coloca na pele de Lotte. Muito bom!

    ResponderExcluir

RESENHA SOBRE MEU LIVRO NO BLOG PROSA ENCANTADA

Confiram que resenha linda da minha amiga e escritora Ana Lucia Santana sobre meu livro, em seu blog  http://prosaencantada.blogspot.com.br...